Como vencer a calvície

Como vencer a calvície

Descubra Como Vencer a CalvícieOlá!Hoje milhões de pessoas enfrentam o poblema de queda de cabelo, é muito comum nos depararmos com homens e mulheres sofrendo de queda de cabelo e calvície,metade dos homens apresentam algum grau da disfunção nos cabelos até os 50 anos, é o alerta que a Organização Mundial de Saúde (OMS).
Se você está está neste site é porque possivelmente esta sofrendo deste problema.Quero dizer a você que está no lugar certo,porque vou lhe apresentar um método comprovado por milhares de pessoas que mostra passo a passo a recuperar seus cabelos de volta.

Clique aqui e descubra como é possível vencer a calvície

 

 

Anúncios

Calvície Tem Cura

O primeiro a questionar se a calvície tem cura foi Hipócrates, pai da medicina, formulou um elixir a base de plantas e secreções animais,infelizmente ineficaz. Hipócrates referiu “grama não cresce em ruas movimentadas”.
A quantidade de soluções mágicas prometendo que a calvície tem cura é infindável. A grande maioria delas não tem nenhum fundamento e ainda podem piorar o problema. O importante é que não se deve utilizar nenhum medicamento sem a orientação médica. A seguir descrevemos os tratamentos mais tradicionais e o que há de mais moderno.

Calvície Tem Cura – Tratamentos Clínicos

Tratamentos clínicos são indicados para diversas causas de calvície, principalmente aquelas que estão no início ou que tem prognóstico para o retorno do crescimento dos cabelos. Nas calvícies androgenética, está indicado em indivíduos muito jovens ou no início do processo.

Minoxidil

Utilizada no tratamento da alopecia androgenética e eflúvio telogênico, é uma droga vasodilatadora que age nos vasos do couro cabeludo aumentando a irrigação do couro cabeludo, conseqüentemente dos folículos pilosos. Utilizada topicamente em uma concentração de 2 a 5%, diariamente. Seus efeitos colaterais são observados a nível do sistema cárdio vascular. A ação da droga ocorre somente durante a sua utilização. Esta droga foi utilizada inicialmente no tratamento da pressão alta, com o nome de Lonitem.

Finasterida

Utilizada no tratamento da alopecia androgenética na dosagem de 1 mg,somente em homens, é uma droga inibidora da enzima 5 alfa redutase, responsável pela transformação da testosterona em dihidrotestosterona, responsável pelo enfraquecimento do folículo piloso até sua morte. O efeito da droga ocorre geralmente após 3 meses ao inicio do tratamento e se mantém durante a utilização da droga. Os efeitos colaterais geralmente são a nível sexual, diminuição da libído e alterações do esperma e ou espermatozóide, distúrbios hepáticos e prostáticos, que devem ser monitorizados durante o tratamento, todos eles regridem após parar a utilização.
Corticóides
São utilizados em alopecia areata ou circunscrita, sob forma de injeções locais.

Vasodilatadores

Aqui temos o Jaborandi ou Pilocarpina, substâncias vasodilatadoras que melhoram a circulação sanguínea do couro cabeludo. O minoxidil também se enquadra neste tipo de droga.

Pill Food

Composto de proteínas, minerais e vitaminas que entram na formação do cabelo. Cabe aqui referir suplementos alimentares com esta função.

Laser de baixa freqüência

O Laser de baixa freqüência é aparelho que emite uma luz que penetra no couro cabeludo estimulando a vascularização local, que sabidamente e diminuída em pessoas que têm alopecia. Tal tratamento é realizado em sessões diárias que duram em torno de 20 minutos, no início mais freqüentes e posteriormente mais espaçadas, durante um período de 6 meses ininterruptos. O procedimento é indolor e não tem contra-indicações. Existem mais drogas que podem ser utilizadas especificamente, dependendo do etiologia da calvície, seu medico poderá lhe informar a respeito deles.

Calvície Tem Cura – Tratamento cirúrgico

Muitos cirurgiões plásticos impulsionados pela pergunta, calvície tem cura? Propuseram diverso tipos de cirurgias, infelizmente muitas ineficientes ou com resultado limitado, porem não há como negar que foram importantes para a evolução da especialidade e melhor compreensão da calvície. O texto abaixo não tem o intuito de julgar ou criticar nenhum tipo de cirurgia da calvície e sim orientar o internauta dos prós e contras de cada procedimento.

• Uma das primeiras cirurgias propostas foi a do descolamento do couro cabeludo cirurgicamente e a recolocação deste novamente no crânio, pois se acreditava que isto aumentaria a irrigação sanguínea do couro cabeludo, o que não altera em nada o processo da calvície, pois sua causa genética.

• A utilização de grampos colocados cirurgicamente no couro cabeludo para a fixação de próteses de cabelo, chamado de prematache, também foi tentada no passado, sem necessidade de outras explicações para o insucesso.

• Como a calvície androgenética não acomete a região lateral do couro cabeludo, foi e ainda é realizada por alguns colegas a cirurgia de retalhos de couro cabeludo. São vários tipos, tentarei explicar cada uma delas. Uma das primeiras é a simples retirada da área calva do couro cabeludo e tração das laterais da área com cabelo para diminuir a área calva. Em casos de cicatrizes em couro cabeludo com pequenas áreas calvas pode ser realizada, sabendo-se que uma pequena cicatriz ainda restara, em caso de cicatrizes maiores também pode ser realizado no intuito de diminuir a área calva e futuramente realizar em uma área menor calva o transplante de cabelos. Atualmente em calvícies androgenéticas não indicamos tal procedimento em decorrência a levar a mais uma cicatriz em couro cabeludo, alterar a implantação dos cabelos quando o couro cabeludo é levado para cima, a cicatriz tem grande chance de alargar além que provavelmente será necessário realizar um implante capilar na região ainda calva.

• Outra cirurgia proposta é a ressecção da área calva e a rotação de um retalho, que uma tira de couro cabeludo com cabelo ligado ao couro cabeludo(pedículo vascular), que é rodado e fixado na região antes calva. São vários os tipos dos retalhos que podem ser feitos. Este tipo de cirurgia apresenta na região frontal um bom volume de cabelo, porem apresenta uma linha frontal (cicatriz) que dificilmente alcança a naturalidade do implante de cabelos, além de causar uma calvície em outra região do couro cabeludo que antes não existia.

• Com o intuito de aumentar a área a ser coberta com os retalhos de couro cabeludo utiliza-se expansão do couro cabeludo, expandido com bolas de silicone que vão recebendo soro fisiológico semanalmente aumentando seu volume como a barriga de uma grávida. Também este couro cabeludo pode ser estendido com tração continua. Porem estes procedimentos diminuem a densidade de cabelo e levam a cicatrizes no couro cabeludo. Estes procedimentos se prestam a áreas de cicatrizes medias de couro cabeludo.

• Há muito tempo no Japão um médico observou que partes do couro cabeludo ressecados e colocados em outras regiões permitiam o crescimento dos cabelos. Ele tratou de muitos sequelados da 2 guerra que haviam perdido suas sobrancelhas. Outros médicos pelo mundo também começaram a realizar estudos para esta cirurgia ser utilizada na cura para calvície. Nascia o transplante de cabelos. Basicamente era realizado a ressecção de grandes tufos, com punchs, na área doadora de couro cabeludo, transplantados na área calva, com o intuito cobrir a calvície. O grande problema é que estes punchs levavam ao aspecto de favo de mel na área doadora e de cabelos de boneca na área receptora. Esta técnica atualmente foi praticamente abandonada.

• No Japão surgiu o implante de cabelos sintéticos, ainda realizado por alguns médicos, que do nosso ponto de vista e da sociedade brasileira de cirurgia plástica e do FDA americano, não deve ser realizado em decorrência as complicações que pode causar.

• Com o passar do tempo observou-se que estes punchs poderiam ser menores, os punchs de 4 mm foram abandonados. A área doadora era retirada em uma tira única e após suturada, permitindo uma cicatriz linear. Os pedaços de couro cabeludo, foram divididos cada vez mais, melhorando os resultados. A tira de couro cabeludo era dividida em single hair ou 1 fio de cabelo, micro hair de 2 a 3 fios de cabelos e os mini hair de 4 a 5 fios de cabelos. Iniciou-se então a separação dos fios com lupas e com o tempo com microscópios, tentou-se separar toda a tira de couro cabeludo em fios únicos, o que resultava em um resultado ruim, pois destruía as famílias foliculares, levando a perda de cabelos e um resultado chamado de cabelos de anjo.

• A definição de unidade folículo pilosa e famílias foliculares foi um grande marco na cirurgia da calvície pois com a microscopia observou que a raiz do cabelo tinham uma estrutura complexa. Nesta fase a utilização de lâminas oftalmológicas de alguns milímetros deram lugar as lâminas maiores ou mini punchs muito menos traumatizantes e com resultados melhores, era o inicio do moderno transplante de cabelos.

 

Calvície Tem Cura – O Microtransplante de Cabelos

Este procedimento é indicado em casos de alopecia androgenética e alopecias cicatriciais. Pode ser realizado em homens e mulheres em qualquer idade, salientando que em casos de crianças o principal critério será a vontade da mesma ou a dificuldade da vida social deste decorrente ao seu defeito. Cumpre ao médico o diagnóstico e estagio da calvície para indicar corretamente o transplante de cabelos

Por se tratar de um procedimento cirúrgico, o candidato deve realizar exame físico e laboratorial, descartando qualquer patologia, tornando o procedimento mais seguro. Na consulta será programada a linha pilosa frontal e aonde serão transplantados os cabelos, devendo haver um consenso em relação ao desejo do paciente e o que o médico pode realizar, ou seja, quanto maior a área a ser transplantada menor a densidade de cabelo obtida e maior o número de procedimentos necessários. São realizadas as fotografias pré operatórias em várias posições. Todas as dúvidas dos pacientes devem ser sanadas, tais como local, horário e cuidados antes e depois da cirurgia, como lavar os cabelos antes de ir para o hospital e tingi-los alguns dias antes da cirurgia, se houver necessidade. Em casos de pacientes de fora de São Paulo ou do Brasil todos estes passos podem ser realizados por internet ou telefone agilizando o procedimento e tornando sua estadia o mais curta possível.

O procedimento é realizado em ambiente hospitalar. A equipe é composta em média por 7 pessoas altamente capacitadas inclusive anestesista, responsável em garantir a segurança do procedimento anestésico e a ausência de dor ao paciente, a anestesia é local com sedação. O paciente entra e sai dormindo do centro cirúrgico, não tendo percepção do procedimento. Ainda no quarto o anestesista terá uma breve conversa com o paciente perguntado novamente sob sua saúde. Será discutido novamente, a linha pilosa frontal e área a ser transplantada, ambas serão desenhadas, inclusive a área doadora que será retirada. O paciente recebe a sedação é vai dormindo para o centro cirúrgico. Após o posicionamento e monitorizarão é iniciada a anestesia local seguida da retirada da área doadora. Geralmente a região doadora é comprida é fina ao contrário do realizado antigamente nos transplantes de cabelos, que apesar de mais curta era muito larga levando a alargamento da cicatriz, impossibilitando o paciente de utilizar um corte de cabelo mais curto. Vale à pena salientar que a retirada da área doadora mais longa permite que a tira seja mais fina resultando uma cicatriz mais fina, quase que imperceptível, concomitantemente a sutura tricofitica também é realizada, seguindo a orientação das melhores referências de cirurgia de calvície do mundo, com o intuito de não somente propiciar um ótimo resultado na área a ser transplantada, mas também onde retiramos os cabelos. Em alguns casos os cabelos são retirados compridos e transplantados comprido isto deve ser discutido com o seu medico.

A área doadora é então entregue as auxiliares que separam as unidades folículo pilosas e famílias foliculares que são mantidas sob refrigeração no intuito de diminuir o seu metabolismo e não causar danos aos folículos, enquanto estão fora do corpo humano. A separação com estes instrumentos permite a manutenção da integridade da anatomia dos folículos pilosos, permitindo um aproveitamento muito próximo dos 100% da área doadora retirada. Atualmente a manutenção dos folículos é em soro fisiológico e plasma do próprio paciente. Tais folículos por serem da mesma pessoa não apresentam nenhum tipo de rejeição. Muitas pessoas perguntam se folículos de algum familiar ou doador pode ser utilizado, infelizmente não, pois com o tempo estes sim apresentam rejeição. Respeitamos a anatomia das unidades folículo pilosas, separando as unidades com 1, 2, 3 e 4 fios que serão transplantados organizadamente na área receptora. Em cada sessão conseguimos colocar de 3.500 a 7.000 fios em média, isto, pois há uma variação do numero de folículos na área doadora de pessoa para pessoa, ou seja, que têm mais densidade na área doadora transplanta têm mais cabelo e vice versa, a densidade da área doadora também pode variar dependo do numero de procedimentos prévios já realizados. O fato referido influência o número de procedimentos para se atingir uma boa densidade de cabelos.

Concomitantemente a separação dos fios o cirurgião e seu auxiliar, checam o desenho da linha pilosa frontal já programada. Esta linha pilosa frontal deve ser levemente assimétrica e com uma delicada sinuosidade. Nenhum ser humano tem o rosto totalmente simétrico, o intuito do implante de cabelos é imitar a natureza. Além da preocupação da linha pilosa frontal preocupa-nos a linha pilosa posterior que também deve apresentar grande naturalidade. De posse dos folículos pilosos utilizando lâminas oftalmológicas, as mais delicadas que existem no mercado, e material microcirurgico, iniciamos a colocação dos folículos, um a um, na linha pilosa frontal com faixas de 1 fio de cabelo, que propicia naturalidade muito próxima do normal, seguidas de 2 ,3 e finalizando com 4 e 5 fios aonde desejamos mais volume. A distância que separa os folículos atualmente com a microlamina oftalmológica e em torno de 1 mm muito próxima da que existe em couro cabeludo normal. A inclinação da colocação dos fios deve ser a mesma dos cabelos restantes, por isso não se deve cortar os cabelos algum tempo antes da cirurgia, no caso de paciente sem nenhum cabelo a inclinação respeita nossa observação e estudos realizados. Antes de transplantarmos os folículos banhamos os enxertos em fatores plaquetários de crescimento, sub produto do processamento do sangue do paciente, este aumenta a integração dos enxertos no couro cabeludo favorecendo neo vascularização.

O transplante de cabelos em uma região que já tenha cabelo não lesa os folículos pilosos que já existem na área receptora, pois estes folículos já existentes são respeitados, os folículos são colocados paralelamente a eles. Pode sim ocorrer um fenômeno que se chama eflúvio telogênico pela agressão do couro cabeludo levando a uma queda temporária destes cabelos que lá já existiam, porem voltam com o tempo. Em nossa opinião a utilização de laser no transplante de cabelos para a enxertia dos folículos é limitada, pois somente realiza o orifício que realizamos com microlamina e tratando-se de uma energia condensada, dissipa calor para as laterais do furo e se haver folículos lateralmente são danificado, as vezes mortos, este equipamento só se presta a calvícies sem nenhum cabelo, porem mesmo nestes caso onera grandemente os custos não trazendo beneficio.

Ao termino do implante capilar são colocados em média 1650 folículos por sessão, num período de 5 horas em media, mas em decorrência ao preparo monitorizarão e curativo, o paciente se mantém no centro cirúrgico por 7 horas em media. Vale a pena salientar que ao nosso entender tempos menores de cirurgia mesmo com equipe maiores não é possível a colocação de tantos folículos, e em tempo maior de cirurgias fatigamos a equipe e aumentamos em muito o tempo em que o paciente fica anestesiado.
Logo após a limpeza da cabeça é realizado um curativo que se manterá por 1 dia, isto é imprescindível para o sucesso da cirurgia, pois mantém estáveis os folículos em seus leitos e não deve ser retirado em hipótese nenhuma sem ordem médica. O paciente vai para o quarto descansa um pouco, se alimenta e então tem alta, com dois medicamentos um antibiótico e um analgésico. A dor pós operatória é controlado com os analgésicos. Em casa o paciente deve permanecer em repouso, com a cabeça mais elevada que o tronco e com alimentação leve. No outro dia no consultório o paciente tem o curativo retirado e os cabelo lavados. São orientados os cuidados a serem tomados com os novos cabelos, principalmente em relação a sua limpeza, cuidadosa nos primeiros dias, utilização de um boné ou lenço para a proteção do local inclusive logo após a retirada do curativo. Após o segundo ou terceiro dia de cirurgia o paciente pode apresentar um grau variável de inchaço na testa que progressivamente vai para os olhos, raiz do nariz até desaparecer progressivamente. Atividades físicas leves são liberadas após o quarto dia. Lavar os cabelos normalmente é liberado após 1 semana. Atividades físicas após 10 dias, sol após 4 semanas. Tingir os cabelos após 1 mês na área não transplantada, e após 2 meses na área transplantada.

A grande maioria dos cabelos transplantados começam a crescer nos primeiros dias, porem cai após algumas semanas, pois os cabelos interpretam a cirurgia com uma agressão, lembrem do ciclo do couro cabeludo, eles voltam a crescer em torno de 3 a 6 meses. Alguns cabelos no início do crescimento podem crescer com um aspecto um pouco diferente do normal porem é transitório.

Um resultado praticamente definitivo pode ser observado em torno de 7 meses quando os cabelos já nasceram e cresceram o suficiente. Uma nova sessão pode ser realizada após a 8 meses da primeira. Em casos de uma segunda sessão, as vezes o crescimento demora um pouco mais de 3 a 6 meses.

Na primeira consulta deve ficar claro que no transplante de cabelos retiramos cabelos da área doadora e os distribuímos em uma área receptora geralmente maior que a doadora, portanto é obvio que o volume de cabelo obtido é menor que da área receptora. Este volume é diretamente proporcional a área que queremos cobrir, ou seja pequenas calvície tendem a ter um volume melhor com 1 procedimento que grandes calvícies, que geralmente necessitaram de mais um procedimento. Outro fato importante a salientar é que os cabelos transplantados nunca mais caem porem o cabelo que já se encontrava na região transplantada e em suas proximidades se estiverem na região acometida pela calvície androgenética podem cair um dia, pois a calvície androgenética é evolutiva, levando a necessidade de um novo procedimento. Compete ao profissional realizar um transplante que fique esteticamente favorável mesmo com somente uma sessão em relação a naturalidade.

 

Clínica Sandro Salanitri

A Clínica Sandro Salanitri é especialidaza em cirurgia da calvície estética e reparadora, realiza do transplante de cabelos a complexas reconstruções de couro cabeludo inclusive com expansão de couro cabeludo. Também atua na cirurgia plástica estética e reparadora. Com equipe multidisciplinar oferece também tratamento cosméticos, como drenagem corporal e limpeza de pele. Conta com amplo consultório particular com diversas instalações, inclusive com auditório para aulas e palestras e estacionamento próprio.

Este site foi construido respeitando as normas do Conselho Regional de Medicina do estado de São Paulo.

Não é permitido fotos de pré e pós operatório de cirurgia de cabelo bem como fotos educativas de pacientes, de acordo com as normas do CODAME, Conselho Regional de Medicina que proíbe a colocação em qualquer veículo de comunicação em massa, com exceção das revistas científicas, de fotos, filmes, ou exposição de pacientes para demonstração de resultados de implante de cabelos, mesmo com autorização do próprio paciente por escrito.

Condicionadores para os cabelos

Quando os cabelos apresentam as escamas da cutícula danificadas ou carregadas de cargas elétricas negativas, adquirem aspecto ressecado, sem brilho, arrepiado e embaraçam facilmente.

Alguns fatores que contribuem para que isso aconteça:
Tratamentos químicos – destruição da cutícula;
Lavagens freqüentes – xampus com grandes concentrações de detergente ou ph alcalino;
Escovação freqüente – ativa a eletrostática das escamas da cutícula;
Secadores elétricos – cargas elétricas negativas do ar e desidratação dos fios;
Sol e vento – desidratação dos fios;
Ar condicionado – retira a umidade do ar;
Distúrbios de saúde – falta de óleos polinsaturados, vitaminas, proteínas, etc.

Os condicionadores formam uma película invisível sobre os fios com cargas elétricas positivas, que fecham as escamas e facilitam o pentear. Possuem, ainda, princípios ativos com peso molecular muito pequeno, que penetram no Córtex capilar e recompõem sua estrutura.

Dependendo dos princípios ativos e das suas formulações, os condicionadores propiciam aos cabelos:
Elasticidade
Suavidade
Brilho
Maciez
Movimento

Tratamento para os cabelos e a calvície

As correntes elétricas têm aplicações médicas e estéticas no organismo humano.

Conhecer seus efeitos, suas corretas utilizações e contra-indicações é imprescindível para quem trabalha com terapia capilar.

Técnicas como a iontoforese, o desincruste, a alta- frequência, associadas aos raios infra-vermelho e ultra violeta, ao vapor de ozônio, as máscaras de argila, a drenagem linfática, a massagem capilar, a fitoterapia, a aromaterapia e a orientação nutricional, representam papéis importantes para a limpeza profunda, a umectação, a nutrição e a estimulação do couro cabeludo e dos cabelos.

Todas elas são fundamentais para o tratamento para queda de cabelo.

A Massagem para os cabelos
Há milhares de anos que, na China, a massagem faz parte do sistema de medicina tradicional.

Segundo os chineses, a massagem promove o fluxo da energia vital – o chi – ao longo dos meridianos do corpo e, por isso, pode ser usada em uma diversidade de problemas.

O Shiatsu é uma forma de massagem que atua especificamente sobre os pontos em que se acredita que os meridianos estão mais na superfície da pele.

Quando massageados, eles ativariam o fluxo da energia vital.

Já a medicina ocidental comprova os efeitos da massagem sobre o hipotálamo com a produção das endorfinas e a diminuição do hormônio do estresse (o cortisol) no sangue.

Afora esses aspectos, a ativação do retorno venoso decorrente da massagem facilita a circulação e a oxigenação dos tecidos e, assim, potencializa a ação dos óleos essenciais e demais produtos tricotróficos aplicados no couro cabeludo do cliente.

A Massagem Capilar se divide em duas partes:
1 – A drenagem linfática
Todas as células do corpo são banhadas pela Linfa, um líquido leitoso cuja função é remover as toxinas e bactérias dos tecidos. Ela é composta de 96% de água e representa 15% do peso corporal, sendo a sua função reabsorver e devolver para a corrente sanguínea as proteínas plasmáticas que constantemente abandonam os capilares sanguíneos.

A Linfa trafega por uma rede de pequenos canais (os Ductos Linfáticos) que se interligam uns aos outros até atingirem o sistema venoso.

A drenagem linfática do couro cabeludo estimula o escoamento da Linfa para os Linfonodos, oportunizando para o local um plasma sanguíneo renovado, carregado de nutrientes essenciais.

Os Ductos Linfáticos do couro cabeludo se dividem em:
a – Os da região frontal que terminam nos Linfonodos Auriculares Anteriores.
b – Os da região têmporo-parietal que vão aos Linfonodos Parotídeos e Auriculares posteriores.
c – Os da região ocipital que terminam parte nos Linfonodos ocipitais e parte nos Linfonodos cervicais profundos inferiores.

A Linfa é vertida na corrente sanguínea nas junções das Veias Jugular e Subclávia nos dois lados do pescoço.

O compasso da Drenagem deve ser pressionar / relaxar.

2 – A massagem
Os movimentos da massagem são de deslizamento, amassamento e fricção por todo o couro cabeludo, inclusive na nuca e no trapézio.

A massagem começa na parte frontal da cabeça e nas têmporas, continua na nuca e termina no alto do crânio.

A massagem favorece o contato dos óleos essenciais com a superfície do couro cabeludo, incorporando-os à camada córnea, favorecendo assim suas absorções.

Sessões regulares de drenagem linfática e massagem capilar contribuem para ativar o metabolismo do couro cabeludo, revitalizando os folículos pilosos.

Lembre-se sempre das contra-indicações formais que são as áreas inflamadas, machucadas ou que apresentem problemas no sistema linfático.

A aromaterapia para os cabelos

Os tratamentos naturais, por apresentarem menor probabilidade de causarem efeitos colaterais, estão cada vez atraindo mais pessoas.

A Fitoterapia (cura pelas plantas) é reconhecida pelos órgãos governamentais como uma técnica cientificamente validada para o tratamento de variadas condições de saúde.

A Organização Mundial da Saúde incentiva esta prática terapêutica.

A Aromaterapia é uma parte da Fitoterapia que consiste em utilizar os óleos essenciais das plantas com fins terapêuticos.

Conhecidos desde 6.000 anos atrás, quando já eram utilizados pelos egípcios, os óleos essenciais são hoje aliados importantes nos tratamentos capilares.

A oleosidade, a caspa e o ressecamento dos cabelos

A Seborréia
Apresenta-se como uma oleosidade excessiva da pele, especialmente no couro cabeludo ou no rosto. Não apresenta descamação ou vermelhidão. É influenciada por fatores hormonais, alimentares, emocionais e climáticos.

A Dermatite Seborréica – Pityriasis steatoides
Apresenta-se como uma inflamação que ocorre em áreas com grande número de glândulas sebáceas: couro cabeludo, sobrancelhas, pálpebras, lados do nariz, parte posterior das orelhas e meio do peito.
A pele torna-se vermelha e áspera e é recoberta por escamas.

As escamas podem ser secas ou gordurosas, finas ou espessas, geralmente acinzentadas ou amareladas, quase sempre aderentes, podendo ser acompanhadas ou não de prurido.

A presença de dois fungos , o Pityrosporum Ovale e o Pityrosporum Orbicular, estão envolvidos no processo, pois nos pacientes afetados ocorre uma grande quantidade destes fungos nestas áreas (82% na dermatite seborréica, 74% na caspa e 47% nos normais).

A Dermatite Seborréica geralmente é crônica. Ela melhora com o tratamento mas tende a voltar periodicamente.

O vento, o calor, a umidade, o suor, o uso de bonés, o dormir com o cabelo molhado, o estresse, as alterações hormonais, os xampus inadequados, a água quente do banho e o clima frio do inverno tendem a agravar os sintomas.

A exposição à luz solar melhora os sintomas.

A Caspa – Pityriasis capitis
Caracteriza-se pelo excesso de descamação do couro cabeludo, não ocorrendo inflamação. A pele do couro cabeludo passa a eliminar as células mais rapidamente que o normal .

Alimentos de baixo valor nutritivo e a falta de proteínas e óleos poliinsaturados podem contribuir.

Atualmente, acredita-se ser a caspa uma forma branda de Dermatite Seborréica.

Segundo sua intensidade pode ser classificada como:

Leve – Pequenos flocos esbranquiçados aderentes ao couro cabeludo, próximos à implantação dos fios, perceptíveis somente após raspagem ou escovação.

Moderada – Os flocos se encontram soltos entre os fios, mesmo na ausência de processos que promovam seu deslocamento do couro cabeludo.

Intensa – Caracteriza-se por descamação acentuada de flocos de tamanhos variados, abundantes e perceptíveis entre os fios e sobre os ombros do portador.

A Caspa e a Dermatite Seborréica encontram-se presentes em 40% da população branca adulta e estão relacionadas com predisposição genética e fatores ambientais.

Alterações na composição da gordura produzida pelas glândulas sebáceas do couro cabeludo, que resultam no aumento da alcalinidade da pele (alteração do PH) parecem predispor o surgimento destas afecções.

Raras e brandas nas crianças, têm suas incidências e gravidades máximas por volta dos 20 anos, sendo pouco freqüentes após os 50 anos.

Xerose
Aqui, o couro cabeludo apresenta-se ressecado em razão das glândulas sebáceas hipo-funcionais. Os cabelos também serão secos e sem brilho. Distúrbios hormonais, falta de óleos insaturados na alimentação, estresse, falta de vitaminas, banhos seguidos com água quente e xampus inadequados contribuem para esta disfunção.

O crescimento dos cabelos

Os cabelos crescem descontinuamente, intercalando fases de repouso com fases de crescimento, de modo que os fios encontram-se em estágios diferentes em seus ciclos de desenvolvimento.

Na fase de crescimento (anágena), com duração peculiar a cada indivíduo, os fios de cabelos crescem em média 10 a 20 cm ao ano.

Determinantes genéticas influem sobre a textura, cor, curvatura, densidade e o crescimento dos cabelos.

Existem ainda outras influências

Hormonais – Os hormônios circulantes na corrente sanguínea modificam o crescimento dos cabelos na puberdade, na gravidez, na menopausa , na terceira idade e em decorrência de doenças glandulares.

Nutricionais – A alimentação carente em proteínas, vitaminas e gorduras insaturadas alteram os ciclos capilares.

Químicas – Muitas substâncias e medicamentos influem no crescimento e na perda dos cabelos.

Psíquicas – Transtornos emocionais ou estresse intenso podem originar perda dos fios.

Envelhecimento – Com o avançar da idade acontece, no couro cabeludo, uma diminuição importante dos fibroblastos, que produzem o colágeno. Somam-se a isso as alterações tróficas decorrentes dos radicais livres que agridem as células do folículo piloso. O resultado é uma menor densidade de cabelos no couro cabeludo.

As características dos cabelos

Os humanos apresentam entre 90 e 150 mil fios de cabelos no couro cabeludo. Dez por cento a mais nos louros e dez por cento a menos nos ruivos. Em média, estes fios crescem 1 cm por mês (0,37 mm/dia) e a perda normal está entre 50 e 100 fios diários.

As características dos cabelos

O cabelo é uma haste fibrosa, formada por células mortas compostas de uma proteína chamada queratina, produzida por células chamadas queratinócitos (a única parte viva do fio) que se encontram no bulbo, na derme do couro cabeludo.

Um dos componentes da queratina é o aminoácido cisteína, que contém alto teor de Enxofre.

A cor do cabelo é resultado de outra proteína, chamada melanina, produzida por células chamadas melanócitos, que se encontram junto da papila, a parte onde se dá a reprodução celular.

O bulbo e uma ou mais glândulas sebáceas, juntos com o músculo eretor do pêlo, compõem o folículo pilo-sebáceo.

Ao nível desse músculo existe a Zona de Bulge, onde estão as células responsáveis pelo desencadeamento dos ciclos de crescimento capilar.

A Haste Capilar é formada por uma parte central, chamada de Medula, que é repleta de componentes porosos, desconhecendo-se ainda qual a sua utilidade.

Circundando a Medula, temos o Córtex, uma camada composta de feixes de queratina repletos de grânulos de melanina e unidos por uma cola biológica.

O Córtex é responsável pela resistência e elasticidade dos cabelos.

A parte mais externa dos fios, a Cutícula, compõe-se de células tipo escamas sobrepostas, também queratinizadas, com altas concentrações de enxofre, que funcionam como uma barreira protetora para o Córtex e a Medula, e que são responsáveis pelo brilho , maciez e penteabilidade dos cabelos.

A Cutícula tem cerca de 5 a 10 camadas de espessura, sendo que suas células empilham-se umas sobre as outras, formando uma superfície bem plana. Elas mantêm-se unidas através das ceramidas, os lipídeos intercelulares.

Cada fio poderia ser comparado com um lápis

A parte mais interna – o grafite – seria a Medula.

A madeira seria o Córtex.

A parte mais externa – a tinta – seria a Cutícula.

Quando a camada mais externa sofre algum tipo de agressão, a tinta sai (cutícula) e a madeira (córtex) fica exposta. Córtex aberto significa fios quebradiços.

Além de queratina, melanina e ceramidas, o cabelo contém água, pentoses, fenóis , ácido glutâmico, valina, leucina, cobre, zinco, ferro, manganês, cobalto, cálcio e alumínio.

As características da Haste Capilar são:
Forma, Comprimento, Cor, Brilho, Diâmetro, Solidez, Plasticidade, Elasticidade, Eletricidade estática, Densidade e Crescimento.

A importância dos cabelos

Nas comunidades humanas, a estética é muito valorizada.

Em razão disso, apesar de não apresentarem importância maior para a sobrevivência do indivíduo, os cabelos têm valor indiscutível como ornamento pessoal.

Em algumas culturas, o aspecto dos cabelos assinala diferenças sociais ou profissionais; já em outras, atende a exigências religiosas ou até mesmo a posicionamentos políticos.

Compondo a moldura do rosto, os cabelos sinalizam formas de encarar a vida e, muitas vezes, importantes mudanças do comportamento pessoal.

Cortá-los, penteá-los, pintá-los de acordo com os próprios desejos são maneiras que cada um tem de demarcar sua individualidade.

Contribuindo para uma imagem clássica ou radical, os cabelos são repletos de significados associados a conceitos de ousadia, juventude, liberdade, sedução e poder.

Constituem-se na característica mais marcante e variável dos seres humanos, tornando-se ingredientes fundamentais da identidade pessoal.

Para muitos, perdê-los é um desfiguramento grave.